Segurança

Residentes no Brasil encontram dificuldades para se estabelecer em um local que alie tranquilidade, comodidade e segurança. Geralmente cidades ou bairros considerados tranquilos estão afastados de centros comerciais, demandando deslocamento mais longo para tratar questões do dia a dia. Outro aspecto é que mesmo aqueles chamados “bairros nobres” não propiciam ao seu público a harmonia plena, ficando seus usuários muitas vezes restritos ao condomínio que residem, com sua liberdade restrita (“blindados”). Para proporcionar mais segurança (ou pelo menos a sensação dela) é comum observarmos grades, cercas, vigilantes, câmeras e outros recursos ostensivos.

O desafio deste projeto é implantar um modelo de excelência que seja viável em áreas mistas (aspectos públicos e privados), com o mínimo de “agressão” visual, de modo a manter a atmosfera de tranquilidade sem que haja comprometimento da segurança. É dentro deste conceito e mediante utilização da arquitetura e o emprego da vigilância natural que será possível atrair o público e gerar a viabilidade do projeto. Foi com este propósito que nasceu em Pernambuco, a Reserva do Paiva, planejada para oferecer diferencial ao seu público fixo e flutuante.

A manutenção da segurança da Reserva do Paiva está entre os principais objetivos da AGRP. Com um foco ampliado em toda a região, a Associação, em parceria com a Novo Mundo Consultoria, criou um Plano de Segurança do Bairro para acompanhar e planejar a segurança local;

 

Modelo utilizado: Baseado no princípio citado por Nelson Baeta e que norteou a revitalização de Barcelona, Espanha: “Uma cidade é boa, quando uma mãe pode circular pelas calçadas empurrando seu carrinho de bebê.”
Missão: Propiciar um ambiente seguro a moradores, visitantes e colaboradores, atuando na prevenção, com base na Vigilância Natural
Visão: Ser referência no modelo de segurança comunitária, integrando as ações do bairro com o poder público.
Modelo se Segurança:

Idealizado pela Novo Mundo Consultoria, em cooperação com a Associação Geral da Reserva do Paiva (AGRP), o Programa de Proteção Comunitária da Reserva do Paiva foi tema de palestra no Congresso Nacional de Segurança, realizado em 2016 na capital cearense. “O projeto se adequa ao ambiente, de modo a atrair a confiança de todos. A segurança possui papel essencial para a engrenagem do sistema, que envolve ainda relacionamento com os clientes, comunidades do entorno, logística e responsabilidade socioambiental. Foi um desafio a implantação, porém está sendo extremamente satisfatório colher os frutos”, explicou Gabriel Belmont, gestor da AGRP.

Dentre as suas premissas estão a propagação da política de paz, conhecida como pertencimento e identidade, e responsabilidade comunitária. O primeiro busca intensificar o vínculo dos moradores e visitantes com o bairro, e o segundo procura incentivar a identificação com as atividades do projeto e, assim, tornar todos alertas a qualquer situação suspeita.  

Para garantir a eficiência e funcionalidade do programa, eles alertam que é necessário o engajamento de todos, ou seja, que cada morador, proprietário de estabelecimento ou pessoa que trabalhe e circule no bairro com frequência, seja participativo. “Caso um morador/usuário observe algum comportamento estranho ou fora do comum, pedimos que entre em contato com a Associação através do (81) 99266.1696, para que as medidas cabíveis sejam tomadas”, explica o tenente Saulo Pessoa, consultor de segurança do bairro.

Buscando explicar a forma de funcionamento do projeto e como participar, a AGRP realiza, periodicamente, reuniões com os representantes dos condomínios do bairro para mostrar as ações realizadas, os resultados e quais serão os próximos passos. Com relação à divulgação, há cartazes e placas visíveis em locais estratégicos de todos os condomínios e nas principais paradas de ônibus do bairro, vias públicas de acessos aos condomínios, escola, parques públicos, além de flyers nas principais operações âncoras do Paiva.

O programa vem apresentando resultados positivos ao ampliar a sensação de proteção, segurança e tranquilidade no bairro. “Para melhorar o nosso trabalho, modernizamos e expandimos o nosso sistema de rádio. Salientando que o acionamento do poder público deve acontecer pelos canais oficiais de comunicação”, relata o tenente.

Além disso, constantemente são feitos investimentos para apoiar os poderes municipal e estadual. Confira algumas destas conquistas:

Representantes da iniciativa pública e privada reunidos para pensar juntos em soluções que reforcem a proteção. Este é o Comitê de Segurança, criado e liderado pela AGRP.

A AGRP, em parceria com o Grupo Ricardo Brennand, Grupo Cornélio Brennand e Odebrecht Realizações Imobiliárias e Concessionária Rota dos Coqueiros, construiu um Posto Avançado da Polícia Militar, uma conquista importante para a segurança da região. Localizados próximos às praças de pedágio de Barra de Jangada e Itapuama.

Para fortalecer a Guarda Municipal do Cabo de Santo Agostinho e a segurança da região, a AGRP construiu uma nova sede para a Guarda Municipal, na comunidade de Itapuama, entorno da Reserva do Paiva.

A estrutura conta com 20 agentes das áreas de segurança patrimonial, trânsito, meio ambiente e guarda-vidas.

A segurança da Reserva do Paiva conta com o planejamento estratégico da Novo Mundo Consultoria que organiza estratégias de segurança e planejamentos exclusivos adaptados a cada necessidade.

Já a Trust Vigilância é responsável pelas rondas motorizadas que atuam 24 horas em todo o bairro, contando com reforços durante os finais de semana e feriados.

A AGRP, em parceria com a Safety Med, empresa especializada em atendimento médico de emergência e urgência, inaugurou o Serviço de Atendimento Emergencial. Uma estrutura instalada no Parque do Paiva com um posto de atendimento 24h e uma ambulância básica para transporte de pacientes com risco de vida, mas sem a necessidade de intervenção clínica no local.

O serviço se destina a pequenos acidentes e visa fornecer os primeiros socorros a moradores e visitantes do bairro do Paiva. O atendimento pré-hospitalar oferecido é voltado para vítimas de traumas, mal súbito, distúrbio psiquiátrico, visando a estabilização clínica do paciente e remoção em seguida, caso necessário, para uma UPA ou hospital conveniado.

Com este serviço, a equipe do SAE, composta por um socorrista e um técnico de enfermagem, está prepara para prestar procedimentos não invasivos, como auxiliar na recuperação de perda de consciência, de traumas ortopédicos, controle de foco hemorrágico externo, entre outros.


A ambulância e posto de atendimento contam com todo material básico conforme a portaria n° 2048 do Ministério da Saúde, incluindo o DEA, um desfibrilador automático capaz de identificar e reverter uma possível parada cardiorrespiratório.

O número de contato com o SAE é o (81) 99467.7323.

Para garantir a tranquilidade na praia, a AGRP também está atenta à segurança dos banhistas. Por isso, fez parceria com o Corpo de Bombeiros para realização de rondas na orla, tanto por terra quanto por mar, com o auxílio de Jet Ski e quadriciclo.